Pareço um menino.

23:45

Ver uma criança hoje realmente sendo criança. Parece algo tão simples mas é tão difícil de se ver nesta era digital. Poucas crianças se vê nas ruas, brincando nas noites quentes, enquanto os pais conversam com vizinhos na calçada.
Eu cresci assim, brincando descalço nas ruas, passando por diversas brincadeiras diferentes ao longo do dia até ouvir, já no fim do dia, a voz de minha avó me chamando pra entrar. E quando o assunto infância surge em frente das nossas crianças, as brincadeiras que contamos que costumávamos brincar trazem reações de espanto a essa geração que não sabe brincar.
Não sabem o que é "poste a poste", "taco", não sabem a adrenalina de subir numa árvore ou de uma partida de bolinha de gude. Joelhos ralados, "tampões" de dedos arrancados em tropeços no asfalto quente, parece masoquismo mas era só leveza. A leveza de ser criança e de só se preocupar em aproveitar ao mmáximo o dia antes de ser intimado a ir pra casa. 
A mesma leveza que vejo hoje em meu primo de 7 anos a cada brincadeira nova que inventamos, a mesma leveza que ele me trás me transformando por algumas horas na criança que um dia fui. Há quem diga que faço bem ao ensinar a ele as brincadeiras antigas, mas acho que bem é ele quem faz ao resgatar em mim aquele menino que andava descalço sem pressa em crescer. E toda vez que encontro esse menino, eu aprendo, eu renasço e vejo que mundo também é só um adulto que esqueceu da criança que foi.
E você, tem visto o(a) menino(a) que vive em você?
Thato.

Talvez você goste de:

0 comentários